NAVEGANDO POR MARES INCERTOS E TENEBROSOS



A idéia central deste blog, único sentido de sua manutenção, é o apoio incondicional ao Club de Regatas Vasco da Gama, no sentido mais amplo. Não por outro motivo que apoiamos o time de 2008 na sua luta contra o rebaixamento, e depois, em 2009, na escalada de volta à Série A, apesar de todos os problemas, financeiros e políticos que vêm causando muitas dificuldades em fazer, de novo, o Vasco, clube grande que é, competitivo e vencedor.

Não conquistamos um título de expressão nacional desde 2000, ganhamos um Carioca em 2003 e conquistamos a promoção à Elite nacional no ano passado.

Entramos em 2010, ainda com uma dívida gigantesca, em torno de 300 milhões de reais, segundo o VP de Finanças, Nélson Rocha, em entrevista concedida ao Programa de rádio “Só Dá Vasco”, do dia 27 de abril deste ano.

No entanto, o que mais me preocupa, como sócio proprietário, e acredito que a todos os demais associados e torcedores, é a situação atual do Gigante da Colina, dada a proximidade com o encerramento deste primeiro semestre. O que se vê, hoje, com a devida vênia, ao Rodrigo Caetano e seus nítidos esforços, é justamente o contrário do que o Vascaíno esperava!

Hoje, dia 18 de maio de 2010, o CRVG não conseguiu reduzir a dívida, que ainda gira em torno de 300 milhões de reais, montou-se um plantel onde há fortes carências em determinadas posições como a defesa e a lateral direita (atualmente com dois jogadores que não conseguem render para o time, seja por deficiência técnica, caso do E. Granja, seja por problemas físicos que não parecem ter fim, situação do Fágner). O meio de campo, tanto na marcação quanto na criação, é outro setor com sérios problemas, pobre de rendimento de seus volantes, mas também pela falta de opção à altura do único jogador capaz de alguma coisa e de preocupar os adversários, que vive às voltas com lesões, que é o Carlos Alberto. Quanto ao ataque, nem preciso me alongar, os números falam por si. Dodô é frio, indiferente ao que anda ocorrendo no clube, P. Coutinho não sabe se fica ou vai, mas a cabeça já parece ter ido, e Elton, isolado, produzindo muito pouco, vem marcando seus gols, quando a bola pinga no seu setor. Mas quando o assunto é Treinador, aí é que é que se vê o quanto deu tudo errado até agora. Primeiro se tentou Mancini, que mostrou-se incapaz de liderar o grupo, agregá-lo e lhe dar padrão, coisa que Joel Santana, fez no Botafogo, em duas semanas, uma delas de Carnaval. O mesmo se aplica ao atual técnico, que, para mim, é Interino, e já deveria ter passado o bastão para um Técnico contratado, um com mais experiência em coordenar times profissionais. Gaúcho, vascaíno e profissional dedicado, deveria retornar à Base (para a função que sabe melhor desempenhar, a de revelar e encaminhar as Pratas da Casa para o time de cima), ou, no máximo, ser um dos auxiliares técnicos do Treinador mais experiente.

Fato é que dispensamos o Dorival Jr, contratamos e/ou mantivemos no plantel jogadores que não podem vestir a camisa do C.R. Vasco da Gama, quando poderíamos ter mantido o Treinador que tinha comando sobre o elenco, conhecia o grupo, poderia indicar nomes, deu formato ao time e nos trouxe de volta à Série A. Mas há quem pense que a decisão de deixa-lo ir foi acertada e eu respeito, porém, no que quase todos nós concordamos, menos a Direotoria, é que Gaúcho deveria ter ficado como Interino por, no máximo, dois ou três jogos, e ter sido substituído por um Treinador com Currículo de Série A e Libertadores. Ao plantel se aplica o mesmo raciocínio, ou seja, muita gente já deveria ter sido dispensada, se ainda não foi, que vá agora na janela de junho a agosto e que se forme um grupo mais enxuto, porém mais forte e unido.

A Diretoria já sabe o tamanho de seus problemas, não pode mais perder tempo, precisa se mostrar mais ativa e firme nas suas decisões, precisa começar a acertar nas escolhas! Um semestre já foi, o Brasileirão está aí, estamos muito mal e o fantasma do rebaixamento é fato e tormento para o torcedor.

A má condução dos problemas do clube, a demora em se tomar decisões, o erro no manejo das receitas, as más contratações, e tudo o mais que se vê que está dando errado aborrece, preocupa e afasta o sócio, bem como quem poderia vir a associar-se, sem falar no baixo público nos jogos.

Não é fácil assumir um clube com dívida na casa dos 300 milhões de reais! É muito dinheiro! Um passivo gigantesco, contrato desvantajoso para honrar como é o caso do Habib´s. Tudo isso eu sei, mas há que se montar um time competitivo, com elenco menor, porém mais competente, ter um bom treinador, para obter resultados positivos e assim captar mais sócios, manter bom público nos jogos, porque somos o Club de Regatas Vasco da Gama, um Gigante Sul-Americano, adormecido, mas gigante, sim, tem História e tem camisa, simples!

O tempo corre contra nós e opa! Enquanto escrevo estas linhas, olha quem chega?! Celso Roth. Vamos ver o que ele pode conseguir, mas uma coisa é certa, ele não opera milagres. Que a Diretoria não pare por aí e trate logo, para ontem, de dispensar os jogadores não aproveitados e busque logo os reforços de nível “A” para um clube que pretende algo maior na primeira divisão do Futebol Brasileiro, que não seja uma singela participação olímpica no campeonato livrando-se do rebaixamento e mais nada, que trate de viabilizar o CT, pois todo time grande, que aspira grandes conquistas precisa se modernizar, precisa dar condições aos seus jogadores de obter títulos, e que trate de viabilizar, também as verbas de patrocínios, tão importantes para se executar um plano de gestão, que, aliás, precisa ser cumprido e não o está.

A hora agora é a de pedir que as mudanças continuem, reorganizando o elenco; é hora de se associar, e de apoiar o time que o Roth escalar, para juntos buscarmos os resultados que queremos para que, assim, finalmente, a Caravela consiga cruzar este mar tenebroso e chegar em um porto seguro!

Anúncios