SER OU NÃO SER CAMPEÃO: UMA QUESTÃO DE MATURIDADE, COMPETITIVIDADE E TALENTO / A LESÃO DE DEDÉ: O QUE É EDEMA ÓSSEO?


Nas semanas passadas assistimos a mais uma rodada da Copa Libertadores de America, em que o Vasco, já classificado, consolidou sua posição entre os melhores times da primeira fase, mesmo tendo terminado em 2º lugar no seu grupo. Pouca gente comentou, mas isso só aconteceu porque os racistas do Libertad acharam um gol, em Lima, no final da partida, o que lhes garantiu a manutenção da primeira colocação ao final desta primeira fase.

De outro lado, assistimos à patética eliminação do Flamengo, mais do que merecida, pela pífia campanha que fez. Merecida a classificação do Emelec, que dependendo apenas de si, acreditou, lutou até o fim, e levou a vaga.

Depois, após eliminarmos o urubu, mais uma vez no mesmo campeonato, disputamos mais uma final de turno com o Botafogo, e, assim como na final da Taça Guanabara nossa postura em campo foi uma decepção completa, com erros dentro e à margem das 4 linhas.

Jogamos contra o Lanús, a versão argentina do Atlético Paranaense, e depois de um primeiro tempo perfeito, vimos nosso Treinador fazer duas alterações flagrantemente incorretas, além de mais uma falha de Fagner, e que resultou num gol em nossa Casa. Nada bom, pois poderíamos ter matado a disputa já em São Januário. A vaga está em aberto.

Ganhar ou perder a disputa por uma vaga na fase classificatória de uma competição de peso, como a Libertadores, ou mesmo uma decisão de turno ou final de qualquer campeonato é uma questão de maturidade, talento, princípios e atitudes.

Faz parte das culturas norte-americana e européia essa “preparação” para o embate (clash). Eles promovem o embate e estimulam os jogadores para tal. Não deixa de ser uma forma de fazer os jogadores entenderem e aceitarem que vencer é o mais importante, e que se treinarem com dedicação, perseverança e união, o sonho pode se tornar possível, basta que se preparem e acreditem.

Algum de vocês já conversou com um americano sobre competitividade e como eles encaram o treinamento e a responsabilidade de defender a agremiação que os contratou? Eu já tive essa oportunidade. Lhes asseguro: a chave do sucesso está na preparação (em todos os seus aspectos) e na atitude.

E vocês notam como argentinos e uruguaios lidam com decisões? Entrega – essa é a palavra! Eles sabem o emblema que estão defendendo e a História que existe por detrás! As glórias de Boca Jr, River Plate, Independiente, Estudiantes, Peñarol e Nacional são exemplos vivos disso.

E qual de vocês já viu uma partida da FA CUP, a Copa da Inglaterra?! Os jogadores entram para matar ou morrer, seja qual for a divisão a qual pertence o clube que defendem, seja qual for o peso da camisa que vestem. Entram para disputar aquele jogo como se fosse o último de suas carreiras. Eles querem, sobretudo, vencer, não apenas competir, porque isso eles já fazem, e em alto nível.

Esse espírito de acreditar na vitória, de querer a Taça, de lutar e não desistir não se resume apenas a uma questão de vontade. Não! Decorre de um processo natural que compreende:

1 – maturidade para competir e vencer – (isso independe da idade, ok?! – você pode preparar uma ginasta de 15 anos para ganhar o Ouro Olímpico – ela só precisa saber porque está ali, saber a História que ela carrega e ciência de sua capacidade para o sucesso pleno – treinamento em alto nível)

2 – Talento/ habilidade/ treinamento + dedicação + Renúncias = Campeão! – Fracos não são campeões. Só os bons vencem campeonatos.

3 – Inteligência emocional – sobre essa virtude, por favor dediquem 2 minutos à leitura do texto que recomendo. Já entenderão o que eu quero lhes passar:

http://danielafigueiroevariasideias.blogspot.com/2011/03/como-desenvolver-inteligencia-emocional.html.

E ainda em:

http://www.artigos.com/artigos/humanas/sucesso-e-motivacao/inteligencia-emocional-e-performance-esportiva-2077/artigo/

De autoria de Ari Lima, empresário, engenheiro, consultor em marketing pessoal e gestão de carreiras e especialista em marketing e vendas.

Faço agora a seguinte reflexão e os pergunto: No Brasil, nossos treinadores e jogadores, do fraldinha ao profissional, entram firmes e determinados, cientes de suas capacidades, bem como da Camisa que estão defendendo? Treinaram o suficiente? E no caso do Vasco, em especial, me questiono se sabem lidar com a pressão de uma decisão, têm inteligência emocional para superarem as adversidades ao longo da partida, tomarem as decisões mais coerentes e corretas, e obterem o sucesso, ainda mais diante de uma mídia “marrom” e covarde que quer vender jornais e revistas valendo-se desse rótulo de “Vice”, que querem falsa e espertamente nos impingir?

Eu penso que faltando esses requisitos, consequentemente, faltará a confiança e a auto-motivação necessárias para sobrepujar o adversário, seja qual for a cancha (local ou visitante, neutra…), e sair campeão. Fora isso, ainda tem a questão do treinamento tático! Mas isso é conversa mais para frente.

Em algum momento, ao longo da sua História, o CRVG perdeu isso, ou deixou de acompanhar isso, e a década perdida nos descolou de nossa verdadeira realidade vencedora. Esse resgate também precisa ser feito para que a balança comece a pesar a nosso favor: Mais vitórias do que derrotas, em decisões. Acredito que este processo já recomeçou, pois ganhamos a Copa do Brasil, fomos muito bem na Copa Sul-Americana, chegamos em 2º lugar num Brasileiro, no qual a credibilidade da disputa foi posta em cheque. E os fatos falam por si.

É como penso. E como vocês pensam que o Vasco, como um todo, do Futebol ao Marketing, está fazendo para mudar este quadro definitivamente, haja vista o que aconteceu nas finais da Taça Guanabara e RIO, deste ano?!

E deixo uma pergunta: O Vasco, em toda sua trajetória, venceu mais finais do que perdeu?! Creio que sim, mas seja lá qual for a resposta, vejam o caso da Seleção da Alemanha. Quantas finais de Copa do Mundo já fez? E de Copas Européias? E todos respeitam a Alemanha. Por que será?!

Que o Vasco tenha postura e atitude de Campeão, e que Cristóvão tenha a necessária inteligência emocional para tomar as decisões corretas e conduzir o Gigante da Colina às Quartas-de-finais do Torneio mais importante das Américas!
FORÇA VASCO!!!

___________________________________________________________________

ENTENDA O QUE É EDEMA ÓSSEO – A LESÃO QUE ESTÁ AFASTANDO O MITO DEDÉ DE NOSSAS DECISÕES

O que é um edema?

Segundo o site ABC da Saúde, edema é o nome que se dá ao acúmulo anormal de líquido no espaço intersticial. Ele é constituído por uma solução aquosa de sais e proteínas do plasma, cuja exata composição varia com a causa do edema. Quando o líquido se acumula em todo o corpo, caracteriza-se o edema generalizado. Quando ocorre em locais determinados o edema é localizado, como por exemplo o edema nas pernas de pessoas com varizes.

Agora saiba o que é o edema ósseo, no excelente artigo do Médico Ortopedista,em:

http://www.marcosbritto.com/2010/07/edema-osseo-e-contusao-ossea.html

Sou praticante de Corrida de Rua. Tive esta mesma lesão em 2002, e me lembro bem dela, pois provoca muita dor no local. Fiquei 90 dias sem treinar, apenas fazendo natação. O tempo de recuperação está dentro do previsto para este tipo de contusão, e TEM que de ser observado, e se não for, o impacto trará de volta o edema tornando o trauma algo crônico. A cura deve se dar por completo.

Estamos sentindo muito a ausência do melhor zagueiro em atividade, no Brasil, mas é melhor ficar sem ele agora do que pelo restante da Copa Libertadores (confio em nossa classificação), e de parte do Brasileirão. Dedé é um jogador importante e valioso de nosso plantel e a conduta dos médicos do Vasco tem sido exemplar, e por isto ele voltará a jogar em alto nível. Boa recuperação, Dedé! Tenha paciência, porque logo você estará em campo!

Anúncios