GALO VENCE BATALHA DAS ALTEROSAS, QUE VENHA A BATALHA DA COLINA HISTÓRICA!


Foto: Bruno Cantini

Com um gol de Jô no segundo tempo, o Atlético-MG derrotou por 1 a 0 o Vasco, neste domingo, em Belo Horizonte, e disparou na liderança do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, os mineiros chegaram a 38 pontos e abriram quatro dos cariocas.

A partida foi muito equilibrada durante boa parte dos 90 minutos, mas com uma atuação de destaque de Ronaldinho Gaúcho, os donos da casa saíram com mais um triunfo na competição.

Na próxima rodada, o Atlético-MG terá pela frente o Atlético-GO, na quarta-feira, em Goiânia. Já o Vasco vai receber o Coritiba, na quinta-feira, em São Januário.

O jogo – O Atlético-MG começou a partida buscando pressionar o Vasco em seu campo de defesa. No entanto, os cariocas eram eficientes na marcação e conseguiam sair nos contra-ataques com alguma facilidade. Com o duelo equilibrado, a primeira chance de gol aconteceu somente aos 17 minutos. EM um avanço rápido, Bernard tocou para Jô, que entrou na área, mas chutou muito mal.

O lance animou os donos da casa, que passaram a ter mais o domínio da partida. Mesmo assim, os mineiros não chegavam a levar perigo para Fernando Prass. O Vasco continuava buscando os contra-ataques, mas erravam muitos passes no meio. Em um dos poucos avanços efetivos dos cruzmaltinos, Carlos Alberto quase abriu o placar, aos 31 minutos. O meia recebeu pela esquerda, passou por dois marcadores e chutou. Para a sorte dos atleticanos, Réver apareceu e se colocou a frente da bola.

O panorama do jogo seguia o mesmo, com poucas chances de ambos os lados. O Atlético-MG chegou a colocar a bola para a rede, mas o atacante Jô estava em posição de impedimento. Nos minutos finais, os donos da casa tiveram uma boa oportunidade com Bernard, mas o goleiro Fernando Prass apareceu para salvar o Vasco. Assim, o duelo foi para o intervalo com a igualdade no marcador.

O segundo tempo começou movimentado, com o Vasco quase abrindo o placar no primeiro minuto. Tenório fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Alecsandro, mas o atacante não conseguiu concluir ao gol. A resposta do Atlético-MG veio aos sete quando Guilherme foi lançado e chutou na rede pelo lado de fora.

Os lances animaram as duas equipes, que seguiram buscando o ataque. No entanto, quem passou a criar mais chances foi o Atlético-MG. Na melhor delas, Ronaldinho Gaúcho chutou de fora da área e obrigou Fernando Prass a fazer grande defesa. Só que aos 24 minutos os donos da casa conseguiram abrir o placar. Ronaldinho Gaúcho chegou na linha de fundo e cruzou, Fernando Prass espalmou para o alto, mas a bola sobrou para Jô cabecear livre para a rede.

Depois do gol, o Atlético-MG se manteve melhor em campo e seguiu pressionando. Só que, aos poucos, o Vasco equilibrou as açõe se teve boa chance de empatar aos 35 minutos. Juninho Pernambucano cobrou falta e a bola passou perto do gol de Victor.

Nos minutos finais, o Vasco buscou pressionar o Atlético-MG, mas parou nos seguidos erros no ataque. Com isso, os mineiros apenas administraram a partida até o apito final do árbitro.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 0 x 1 VASCO
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 12 de agosto de 2012 (domingo)
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Assistentes: Marcelo Van Gasse (Fifa-SP) e Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP)
Cartões amarelos: Jô, Escudero e Leonardo Silva (Atlético-MG); Tenório e Juninho Pernambucano (Vasco)
GOL: Jô, aos 24min do segundo tempo

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Réver e Júnior César; Pierre, Leandro Donizete, Ronaldinho Gaúcho (Richarlyson) e Bernard (Serginho); Guilherme (Escudero) e Jô. Técnico: Cuca

VASCO: Fernando Prass; Auremir, Douglas, Dedé e William Matheus; Nilton, Wendel, Juninho Pernambucano e Carlos Alberto (Fellipe Bastos); Eder Luis (Carlos Tenório) (William Barbio) e Alecsandro. Técnico: Cristovão Borges

FONTE: Gazeta Press
_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________

COMENTÁRIO DO BLOG INCONDICIONALMENTE VASCO!

O Galo venceu a Batalha das Alterosas, no Estádio Independência, no Dia dos Pais, pela 16ª rodada do Brasileirão 2012.

A Torcida local fez o seu papel, que aliás, foi exemplar e decisivo, para empurrar o seu time contra o nosso nos 90 minutos, nos relegando a condição de apenas contra-atacar. Uma torcida igualmente apaixonada, e que vibra muito. Um Estádio com clima de alçapão, uma Bombonera em preto e branco.

Foi um jogo difícil ganho, ao meu ver, na única possível falha de Fernando Prass, ao não socar para fora da grande área uma bola que Jô, com categoria colocou dentro da rede vascaína. Indefensável.

Quanto ao árbitro Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP), fez uma arbitragem Caseira. É o que dá para afirmar, sem receio algum.

Como disse Cristóvão Borges, uma hora uma derrota viria. Todos nós sabemos disso, afinal o Brasileirão é um dos mais difícieis campeonatos de pontos corridos do Futebol Mundial. É quase impossível algum time conquistar esse título sem perder ao menos um jogo. O que foi estranho foi a forma como ela aconteceu, com o Vasco pressionado, criando eventuais jogadas perigosas em bolas paradas, por conta do talento do Juninho. Tenório, que era esperança de mudar o jogo, no lugar do cada vez mais apagado, Éder Luiz, saiu sob por precaução. Uma medida acertada e madura, de quem será decisivo contra a dupla Fla-Flu, nas duas últimas rodadas do turno.

Ontem fomos testados, pois sob forte pressão nos domínios do Atlético Mineiro, que tem seu jogo baseado na velocidade e na troca rápida de passes, em uma partida disputada num ritmo muito intenso, até que o Vasco conseguiu equilibrar em alguns momentos, e ameaçar os mineiros nos contra-ataques. Nossa defesa parecia consistente, mas o apoio dos Laterais não acontecia como deveria ser para quem se propôs a contragolpear, e a bola não chegou como deveria em Alecsandro.

Ainda faltam muitos jogos e esse rendimento do Atlético Mineiro, baseado em ritmo intenso e na velocidade do toque de bola uma hora vai cair. Todos oscilam, e como eles não será diferente. Uma vitória contra o Coritiba e um bom desempenho nos clássicos regionais que se aproximam é o que precisamos. Temos que conseguir se pretendemos brigar pelo título! O importante é estar no G4 para em outubro virmos a discutir esse título com que cruzar nosso caminho!

Nas derrotas aprendemos e ganharmos mais força para lutar! Que venha a Batalha da Colina Histórica, em que eles terão que enfrentar o Vasco, no Caldeirão de São Januário, e que façamos a nossa parte apoiando incondicionalmente o nosso time, como os mineiros fizeram com o Galo, em BH!

AO VASCO TUDO! INCONDICIONALMENTE!!!