CAMINHO DE PEDRAS, LUTA E SUPERAÇÃO PELO 2º TURNO DO BRASILEIRÃO


Nosso último post sobre a campanha do Vasco no Brasileirão 2012 foi sobre o jogo contra o Atlético Mineiro, em BH, ainda pelo primeiro turno. Após esse jogo, que perdemos por 1 a 0, vieram o jogo contra o Coritiba, naquele fatídigo empate por 2 x 2, e os clássicos regionais que fecharam o turno. Desempenho muito ruim diante de nossos rivais cariocas, com duas derrotas.

No returno, derrota previsível para o Grêmio, no Olímpico, vitória contra a Lusa, no Caldeirão, e um suado empate contra o Náuticoe muitos erros de arbitragem, desde o jogo contra o Galo.

O torcedor vascaíno viu seu time declinar, perder força e estacionar no 4º lugar, ainda na Zona de classificação para a Copa Libertadores.

As razões? Ah, são muitas! Na verdade, a explicação para tudo isso vem desde dezembro de 2011, por erros de planejamento da atual Diretoria.

Terminado o Campeonato Brasileiro e encerrada a participação na Copa Sul-Americana, toda a Imprensa foi unânime: Foi o ano da redenção do Vasco. Um Gigante adormecido que voltava a competir como um dos favoritos, como sempre foi no curso da História.

Mas 2011 terminava com possíveis perdas, que mais à frente se confirmaram. Rodrigo Caetano, que tanto lutou para colocar o Vasco na Copa Libertadores, deixou o Clube, inexplicavelmente, e foi para o Fluminense, onde pouco se destaca. Em seu lugar assumiu Daniel Freitas, que vem sendo muito criticado pela Torcida e pelos Sócios, mas não só ele! A Diretoria também! Tenho para mim que Daniel seria melhor aproveitado na função de coordenar e organizar a logística do Futebol, deixando o cargo de Diretor Executivo com um Manager profissional, como era o Rodrigo.

Depois veio a crise de salários atrasados (mais uma!) e lá se foi Bernardo. Veio a perda do Carioca, na Taça Rio e a eliminação na Libertadores, nas quartas de finais, naquele jogo dramático com o Corinthians, em que tínhamos tudo, tudo mesmo, para arrancar uma bela classificação dentro do Pacaembu. Pelos nossos pecados fomos eliminados.

E por fim o golpe mais duro até agora, depois do afastamento do Treinador Ricardo Gomes: A estrutura titular e vitoriosa da Copa do Brasil se desfazia. O elenco do Vasco sofreu verdadeiro desmanche: Allan, Rômulo, Diego Souza e Fagner. As reposições não vieram à altura, o padrão de jogo decaiu, o Banco de Reservas não dava boas opções ao treinador (e ainda não dá), para mudar o panorama das partidas.

Resultado: O Vasco entrou no 2º turno com derrota, vitória e empate, e precisa vencer os dois próximos jogos em São Januário, se quiser pensar em título, ou na pior das hipóteses, classificar-se para a Copa Libertadores 2013.

Cristóvão Borges, muito criticado e chamado de burro, de fato errou em algumas escalações, táticas e por insistir com jogadores abaixo do nível técnico necessário para ser um titular do CRVG, mas demiti-lo seria a solução?! Para seu lugar contratar quem? Estamos falando do Gigante da Colina! E como manter o alto rendimento do início e meio do turno com a forte perda de qualidade do elenco na janela de transferência? É fato que a Diretoria tem a maior cota de responsabilidade nisso, porque não fez as reposições no mesmo nível técnico dos que foram negociados.

O Vasco tem hoje um meio campo com média de idade alta, e para um campeonato longo isso é decisivo. As Laterais carecem de jogadores de alto nível, e o futebol de Éder Luis caiu muito com a saída de Fagner.

A resposta às nossas cobranças vieram a muito custo, com a promoção de Marlone, Luan e John Clay aos profissionais. Esses garotos já deveriam estar treinando com os profissionais desde o Carioca, quando deveriam ter sido testados, mas antes tarde do que nunca.

Agora não temos outra opção que não a de apoiar esses garotos, e nosso time, para que lutem! Para que se superem, vençam suas limitações técnicas e físicas.

O Galo já caiu de rendimento. O Fluminense também vai oscilar. O Vasco caiu, e pode se recuperar. O pior já passou? Não sabemos, mas Cristóvão Borges está cobrando mais à beira do campo, está promovendo mudanças, como a providencial entrada do competente e competitivo Tenório e a consolidação de Douglas, como parceiro de Dedé.

Temos o direito de cobrar! Cobrar da Diretoria, do Cristóvão, dos jogadores, mas por outro lado, também temos de fazer a nossa parte, que é a de acreditar e apoiar incondicionalmente nossos jogadores.

Não nos resta outra opção. Ou os empurramos ou o Vasco se retira da disputa do título. Nós somos o fator motivacional para a superação do elenco diante dos adversários.

O momento é de união e fechamento em torno do objetivo: o Pentacampeonato brasileiro, ou no mínimo a vaga para a Copa Libertadores de 2013, já que reforços não virão, nosso elenco-base se foi, e a Diretoria, que não andou bem nas reposições, enfrenta outros problemas, fruto das dificuldades financeiras, e erros outros, que agora terão de ser consertados, pelo bem do Vasco, como o programa de Sócios, por exemplo.

Em meio a tantos problemas, uma boa notícia! O Prefeito Eduardo Paes, Vascaíno, na Cerimônia Oficial de celebração dos 114 anos do CRVG, na Sede Náutica da Lagoa, anunciou o Rugby em São Januário, em 2016, a revitalização do Entorno, em resposta ao Projeto que vem sendo elaborado para a Construção da Arena São Januário.

22º RODADA – OPINIÃO DO BLOG INCONDICIONALMENTE VASCO!

NÁUTICO 1 x 1 VASCO – 05/09/2012

Análise de Leandro Monteiro, Colaborador do Blog IV!

O Prenúncio

O prenúncio que dificilmente conseguiríamos os 3 pontos na partida de ontem já havia sido dado pelo nosso treinador. Com a escalação de um meio campo formado por Nilton, Eduardo Costa, Wendel e Felipe Bastos, estávamos, mesmo antes de entrar em campo, fadados a nos defender ao máximo, e contaríamos somente com os lampejos de boas jogadas (ou melhor, bons chutes de Felipe Bastos) , da velocidade e força do atacante Tenório , além dos cruzamentos de Jonas, mas que dessa vez foi muito mal.

Bem, sendo assim, o primeiro tempo teve um Náutico procurando tomar as ações de jogo e tentava imprimir seu ritmo desde o início da partida, levando perigo em alguns lances. O Vasco , aos poucos, conseguiu conter o ímpeto do adversário mas esbarrava na falta de jogadores que pudessem contribuir para a criação de jogadas e efetivamente não levava perigo ao gol adversário. O placar na primeira etapa parecia caminharpara um 0x0 quando numa bobeira da nossa zaga , num corte atabalhoado do zagueiro Douglas, Kieza aproveita e finaliza sem marcação, de dentro da área colocando o Náutico em vantagem.

No intervalo, fizemos duas alterações , colocamos Carlos Alberto no lugar de Eduardo Costa buscando mais qualidade e inteligência no setor de meio campo e Auremir no lugar de Jonas, que não se apresentou bem no primeiro tempo. O Náutico mais uma vez começou tentando impor seu ritmo mas esbarrou num Vasco bem postado no meio campo que conseguia conter o adversário e detinha a posse da bola.

Em alguns momentos tivemos boas oportunidades de conseguir articular melhores jogadas, ora com Carlos Alberto (que, como sempre, arriscava demais nos dribles e desperdiçava o passe a companheiros em melhores condições), ora com Tenório buscando jogadas de penetração em velocidade. Wendel também contribuía bem no apoio ao meio campo. O empate estava se desenhando, e veio com um chute sensacional de Felipe Bastos, dando moral a equipe, que por mais alguns minutos ainda buscou o segundo gol, mas a situação foi se complicando, o Vasco baixou o ritmo devido ao cansaço e o Náutico dominou as ações de meados do segundo tempo até o seu final levando perigo em bobeadas da nossa defesa (mesmo jogando com três zagueiros) e em jogadas bem articuladas, mas que pecaram na finalização.

Pelas circunstâncias do jogo, somente por isso, o placar foi aceitável. A obrigação de vencer era total pela distância que nos encontramos dos líderes e pela ameaça do São Paulo a nossa quarta colocação, porém desperdiçamos mais uma oportunidade.

Esperamos que diante do Bahia, em São Januário, e com a volta dos titulares, possamos fazer um bom jogo e principalmente sair de casa com mais três pontos nessa árdua caminhada do segundo turno.

VAMOS APOIAR NOSSO TIME, PORQUE A LUTA CONTINUA!

AO VASCO TUDO! INCONDICIONALMENTE!