Na base da Superação, Vasco chega à Final da Taça Guanabara 2013


Dedé comemora gol da vitória diante do Fluminense e coloca o Vasco na final da Taça Guanabara 2013

Dedé comemora gol da vitória diante do Fluminense e coloca o Vasco na final da Taça Guanabara 2013

Valendo-se da vantagem do empate, o Vasco usou de cautela e deu ao Fluminense a iniciativa do jogo. Era dia do Vasco! A Zaga do Tricolor falhou nos três lances capitais, e o Gigante da Colina chegou a mais uma final da tradicional Taça Guanabara, que assegura ao seu vencedor uma vaga para grande final do Carioca de 2013. À parte da discussão envolvendo Abel Braga e Renê Simões, nós do blog IV não vimos nada, absolutamente nada demais nos lances, de calcanhar, do meia Dakson, no vídeo publicado na TV Lance! O meia usou as armas que tinha, sua criatividade e habilidade, para livrar-se da marcação pesada que sofreu nos dois lances em que recebeu a bola em condições pra lá de complicadas, e não poderia pensar sequer na idéia de ser desarmado sob pena de armar um contra-ataque contra a zaga cruzmaltina. Fez bem ao usar do recurso do calcanhar e desarticular a marcação tricolor. Abel deveria se preocupar com Gum para os jogos que ainda faltam pela Copa Libertadores!

Confira como foi a vitória Vascaína no Clássico de ontem, nos comentário de Leandro Rezende, da Equipe do Blog IV:

Vasco x Fluminense – Semi-final da Taça Guanabara 2013 – 03/03/2013 – Engenhão

Com um clima de desconfiança da torcida e, porque não, do seu próprio elenco, O time vascaíno entrou em campo na partida contra os tricolores buscando sua própria afirmação e livrar-se do rótulo de um time questionável, não só pela baixa qualidade técnica do seu plantel, mas também pelo seu sistema de jogo ainda inconsistente, principalmente pela fraca recomposição defensiva e falho sistema de marcação implantado pelo Técnico Gaúcho.

Bem, com toda essa atmosfera de incertezas, o Vasco entrou em campo adotando a tática de esperar o Fluminense em seu próprio campo e apostou tudo nas saídas rápidas de contra-ataque através de seu principal trio ofensivo formado por Bernardo, Carlos Alberto e Éder Luiz contando eventualmente com o apoio dos seus laterais. A idéia seria essa, porém, o que se viu no primeiro tempo foi um Vasco retrancado que teve dificuldades na saída de bola e limitou-se a se defender como pôde, e que, por pouco, não saiu em desvantagem numérica já na primeira etapa da partida. Se não fosse a trave, no chute de Tiago Neves no início do jogo, e a defesa a queima roupa do goleiro Alessandro a sorte do time vascaíno poderia ter sido diferente.

Veio o segundo tempo, e o Vasco se mostrou mais eficiente nas saídas de contra-ataques. Pela necessidade do Fluminense em buscar o gol a qualquer custo, os espaços foram aparecendo e aproveitando também a atuação desastrosa do zagueiro Gum, o Vasco encontrou seu primeiro gol. Éder Luiz aproveita uma bola mal rebatida pela zaga tricolor, leva ao fundo com velocidade, e cruza na medida certa para Bernado abrir o placar. Vasco 1 a 0.Parecia que o clássico estava definido, e que o Vasco iria ‘cozinhar’ a partida até o seu final levando tranquilamente a classificação. Mas de repente tudo mudou. Em menos de 2 minutos o Fluminense consegue dois gols em falhas do sistema defensivo do Vasco. Numa cobrança despretensiosa de lateral arremessada para o interior da área vascaína a zaga se atrapalha na marcação, Thiago Neves aproveita e empata o jogo. 1 a 1. O Vasco se abate. Logo após, o Fluminense toma conta do meio de campo e, em menos de 2 minutos, vira com Wellington Nem, em nova falha da zaga vascaína. Flu 2 a 1.

O jogo ganhou em dramaticidade para o time vascaíno, pois encaminhava-se para a reta final. Foi quando Gaúcho substituiu: colocou Dakson e Romário no time nos lugares de Éder Luiz e Abuda. Se as substituições foram equivocadas, para alguns, na prática, porém deu certo. O Vasco consegue o empate com Romário, justamente com cruzamento de Dakson, e empata a partida. 2 a 2. O time vascaíno voltou a ter a classificação nas mãos, e até mesmo pelo desgaste do time tricolor (devido ao jogo no Chile, contra o Huachipato, pela Libertadores), parecia que o Vasco conseguiria administrar o empate e sairia classificado do Engenhão. Mas as coisas ficaram ainda melhores para o time vascaíno. Numa cobrança de escanteio curta, a bola é alçada na área e Dedé (contrariando orientação do Treinador Gaúcho) vira para o Time da Virada, já no final do jogo, sacramentando de vez a classificação Vascaína para a final da Taça Guanabara. Vasco 3 x 2 Fluminese. E agora, que venha a cachorrada no próximo Domingo! Vamos em busca de mais essa Taça GB! Vamos comparecer em massa e apoiar até o fim!

Saudações Vascaínas!

Batendo de Primeira:

Recomendamos a leitura da Coluna do Jornalista Antero Greco sobre as declarações do Ministro dos Esportes Aldo Rebelo sobre a isenção de impostos para os Clubes de Futebol. Link: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,privilegio-pra-poucos-,1002942,0.htm

Notícia importante para a revitalizalização do Entorno de São Jaunário publicada no site NetVasco: http://www.netvasco.com.br/n/124228/megaoperacao-policial-ocupou-barreira-do-vasco-e-caju-em-poucos-minutos