ONDE ESTÁ O PRESIDENTE? AUSENTE! DE NOVO? Por José Henrique Coelho


Roberto Dinamite não consegue gerir o Vasco da Gama e a crise financeira se agrava a cada mês. Intriga da Oposição? VADA A BORDO, DINAMITE!

Roberto Dinamite não consegue gerir o Vasco da Gama e a crise financeira se agrava a cada mês. Intriga da Oposição? VADA A BORDO, DINAMITE!

Foi-se o charuto. Veio o sorriso. Foram-se os verbos no Imperativo e vieram os no gerúndio!

O Presidente não consegue gerir o clube e culpa a Oposição, de forma ampla. Não consegue sequer marcar um amistoso internacional para divulgar a marca VASCO, apesar de sua viagem a Londres, para ver a Final da Champions League, a convite da Rede Globo, e deposita todas as suas fichas num grupo de Diretores remunerados, para fazer, em um ano, o que ele foi incapaz de realizar desde 2008, ou seja, profissionalizar o Vasco. Que as eleições cheguem logo, e que o Vasco resista até lá!

Estaremos publicando uma série de Opiniões de Sócios do Vasco da Gama, sobre a gestão Roberto Dinamite e o momento difícil pelo qual está a passar o nosso Club.

Nosso blog está aberto a manifestações de todas as correntes políticas do CRVG, desde que não contenham ofensas pessoais. Começamos pela opinião que segue na Coluna que reproduzimos abaixo:

ONDE ESTÁ O PRESIDENTE?

Por José Henrique Coelho

Onde está o Presidente? Ausente! De novo?!

O início deste Campeonato Brasileiro deixa algumas lições. Oscilaremos entre o desespero do elenco “gratuito” montado por esta diretoria e a esperança depositada em cada um daqueles que vestem a nossa camisa e na capacidade do treinador Paulo Autuori. Teremos que ser, mais uma vez, o décimo segundo jogador e, por vezes, também o décimo primeiro, o décimo, o nono, um time inteiro. Não será este presidente ausente, preocupado com seus interesses particulares, que fará algo para mudar esta situação. Este ano, não tem eleição para deputado. Sua irmã e seu cunhado não concorrem para vereador. Este ano ele não precisa do seu voto!

Por isso, enquanto o Vasco iniciava seu caminho no disputado Campeonato Brasileiro, diante de todas as preocupações que nos atormentam, o presidente ausente Roberto Dinamite passeava por Londres, a convite da Rede Globo, para assistir à final da Champions League. Entre as obrigações com o Vasco e uma mais uma diversão, o presidente preferiu a viagem. Está claro para todos os vascaínos que o presidente só se preocupa com os seus interesses. Ignorou a estreia do campeonato e até mesmo o nosso novo uniforme. A bem da verdade, ao presidente talvez só interesse saber quantas peças do novo uniforme estarão disponíveis para ele distribuir e autografar ou quantas serão vendidas nas franquias das suas filhas. Nada referente ao clube o interessa, a não ser as vantagens recebidas por ele e seus parentes.

O presidente tem sido o parceiro ideal de alguns dos nossos “parceiros”, não do Vasco. O presidente economiza o dinheiro dos outros e prejudica o Vasco. A viagem de Dinamite é o prêmio pelo péssimo contrato de TV negociado por ele e pelo ex-VP de finanças, Nélson Rocha, que teve a desfaçatez de dizer, à época da negociação, que o Vasco havia sido “privilegiado”. Em 2012, recebemos aproximadamente R$ 57 milhões em receitas de TV, ou melhor, R$ 57 milhões e mais umas viagens para as finais da Champions League, além de uma permanente exposição favorável na mídia, promovida pelo “parceiro”, que nunca teve nem na época dos seus melhores momentos como jogador. Foi este o preço cobrado pelo presidente pelos direitos de transmissão dos jogos do Vasco. Ao contrário do que pensávamos esta figura sequer sabe o tamanho do Vasco e não tem a capacidade de compreender a nossa grandiosidade. Assemelha-se àqueles alienados torcedores de outros clubes manipulados por um discurso que apequena o Vasco e agiganta alguns rivais. Esta figura menor não sabe o que é ser vascaíno. Foi artilheiro dentro de campo, foi remunerado por cada gol que fez e mostra-se um presidente incapaz de manter a condição que um dia teve de ídolo.

Onde estava o presidente no início do ano, em fevereiro? Ausente.

Não foi trabalhar porque tinha sido operado! Mas quando chegou o convite para ir ao sambódromo, não teve dúvida, pegou nas muletas e foi se divertir e tirar fotos para aparecer, para parecer importante. E tome de foto no camarote da Brahma, ele foi para a Marques de Sapucaí festejar, beber, pular, apesar do desempenho sofrível, para não dizer medíocre, do time no Campeonato Carioca naquele momento.

Conforme mostrou para todo o Brasil na semana passada, o CQC foi ver como andava o trabalho dos deputados na ALERJ. O que descobriu? Quando o assunto é trabalho na Alerj ou no Vasco, toda esta disposição é deixada de lado. Dinamite é o segundo deputado mais ausente da Alerj e no Vasco esta sempre “faltando” e agora sequer apareceu no jogo de estreia do Brasileiro com novo uniforme.

Naquele programa envergonhou a todos os vascaínos. Perguntado pelo repórter do programa CQC sobre as razões de sua ausência constante da Alerj, seu rosto se desfigurou, a fala travou e, por fim, balbuciou um repertório de besteiras tentando fazer uma analogia entre suas cobranças de falta e as faltas ao trabalho, antes de fugir covardemente. A covardia não representa o espírito dos vascaínos que construíram nosso clube com muito trabalho, luta e perseverança.

Por uma viagem à Londres, ele entregou nossas receitas, inferiorizando o Vasco diante de nossos rivais. No ano em que negociou tal contrato, o Vasco tinha excelente desempenho esportivo, que se refletia em audiência, como demonstram os dados do site Globo.com. A página do Vasco em 2011, no Globo.com, tinha a terceira maior audiência (27 milhões de páginas vistas por mês) empatado com o São Paulo e bem mais próximo do Corinthians (34 milhões), do que o time paulista estava do primeiro colocado Flamengo (51 milhões). Mesmo sem ter muitas matérias como destaque na primeira página do site, a audiência do Vasco superou Neymar e o Santos campeões da Libertadores que sempre estiveram presentes na primeira página. São dados do Google Analytics usados pelo Globo.com para negociar o preço dos anúncios, mas Roberto Dinamite não trabalha e por isto nem conhece estas informações.

Definitivamente, ele apenas se interessa pelas vantagens do clube e pelo voto dos vascaínos. Não apresentou o projeto do Rúgbi ao COB, não avançou na reforma do estádio, nunca se preocupou em trabalhar pela reestruturação do clube que recebeu depois de cinco anos de campanha e promessas. Escolheu para seu segundo mandato se cercar de gente tão oportunista e medíocre quanto ele. O vascaíno precisa voltar a ser sócio, voltar a frequentar o clube para nos ajudar a reverter esta situação. Neste momento, o clube precisa de todos os vascaínos.

Vasco Sim, Fora Roberto e Eurico Nunca Mais!

José Henrique Coelho
Ex-Vice-Presidente de Marketing do CRVG e Ex-Presidente do MUV, na eleição para a Presidência do C.R. Vasco da Gama, nas eleiçoes de 2008, a qual marcou a vitória de Roberto Dinamite sobre Eurico Miranda