UM JOGO INESQUECÍVEL: HÁ 23 ANOS O VASCO ELIMINAVA O COLO COLO, EM PLENO ESTÁDIO NACIONAL DE SANTIAGO DO CHILE


Todos nós, Vascaínos, temos um jogo, que por alguma razão tornou-se inesquecível em nossas mentes. Porque foi o primeiro título que viu o Vasco conquistar, porque foi uma vitória de virada incrível, como a da Copa Mercosul de 2000, que, aliás, é inesquecível para todos os Cruz-maltinos.

Um jogo o qual não esqueci é o deste post, e que aconteceu há exatos 23 anos, no dia 15 de agosto de 1990, pela Copa Libertadores de America, contra o Colo Colo, no Estádio Nacional de Santiago do Chile.

A partida foi jogada numa tarde, de quarta-feira, porque era feriado no Chile. Celebrava-se naquela data o Dia de La Asunción de La virgen, ou seja, o dia em que Nossa Senhora foi elevada aos Céus. Fazia um lindo dia de céu azul, como descreve o narrador, em espanhol, no vídeo logo abaixo, porém era uma tarde gelada. Devia fazer uns 3 graus de temperatura. Era o decisivo jogo da volta que definiria o classificado para as quartas-de-finais da principal Competição das Américas.

Estádio lotado, aos pés da Cordilheira dos Andes e a torcida de El Cacique (apelido do Colo Colo) fazia uma bela festa nas arquibancadas, para receber e incentivar os seus jogadores. Presente ao jogo o maior ídolo do Colo Colo, o simpático e destemido craque chileno Carlos Caszely (http://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Caszely). Não só pelo seu talento, mas por sua coragem ele é admirado pelo povo chileno por ter se recusado a cumprimentar o ditador Augusto Pinochet.

Ambas as equipes tinham como prioridade a conquista da Copa Libertadores. Enfim, era um jogo com todos os ingredientes de forte emoção. E foi o que se viu nos 90 minutos do compacto a seguir.

Sob o comando do saudoso Técnico Alcir Portela, do artilheiro Roberto Dinamite e do Maestro Bismarck, após estar perdendo por 2 x 0, o Vasco foi buscar o empate! Sofreu o terceiro gol de pênalti, mas teve força, determinação e garra para buscar mais uma vez o gol de empate e levar o confronto para os penais, de onde saiu vencedor após cinco cobranças perfeitas e uma linda defesa do monstro Acácio, na última cobrança de Espinosa. Silêncio no Estádio Nacional! Vasco classificado! E os chilenos entenderam porque o Vasco é o Time da Virada!

Este time do Colo Colo que o Cruz-maltino acabara de eliminar diante de um perplexo Estádio Nacional lotado, no ano seguinte (1991), conquistou a primeira Libertadores para o Futebol Chileno, sob o comando do croata Mirko Jozic. Era um timaço! O que só enalteceu o grande feito do Vasco da Gama.

Para os mais novos que estão lendo este post, este é o Vasco que eu conheci, que amo, e que quero ver voltar definitivamente! O Gigante da Colina, na mais pura essência, temido por todos os seus adversários: Primeiro Campeão Sul-Americano, em 1948, no Chile, Campeão Brasileiro de 1989, dentro do Morumbi, contra o São Paulo, Campeão da Libertadores de 1998, no Equador, contra o Barcelona, de Guayaquil, Campeão da Copa Mercosul, no Palestra Itália, na Virada do Século, sobre o Palmeiras. Vasco, um Clube de História e Futebol ricos, uma Potência Internacional!

Compacto do jogo:
Colo Colo 3 (4) x (5) 3 Vasco da Gama – Copa Libertadores 1990
15 de agosto de 1990: Feriado Chileno : “Asunción de La Virgen”

1º tempo:

2º tempo:

Capa do Jornal dos Sports - Vasco elimina o Colo Colo na Libertadores de 1990: Na foto da matéria o goleiro Acácio defende a cobrança de Espinosa

Capa do Jornal dos Sports – Vasco elimina o Colo Colo na Libertadores de 1990: Na foto da matéria o goleiro Acácio defende a cobrança de Espinosa


CONFIRA A MATÉRIA DO JORNAL DOS SPORTS SOBRE A GRANDE VITÓRIA VASCAÍNA, NO CHILE:

Em 1990, Vasco eliminou o Colo Colo na Libertadores na base da raça

Quarta-feira, 23/11/2011 – 12:33

Memória RJsports
Segue, na Colina, o sonho de ganhar o Mundial

E o sonho não acabou. O que para a torcida vascaína parecia ser um pesadelo, graças à garra do seu time no segundo tempo e uma série de falhas do Colo Colo, terminou mantendo a esperança de ver o Vasco jogar a final do Campeonato Mundial Interclubes, no Japão. O Vasco venceu por 5 a 4 nos pênaltis, após empate no tempo normal em 3 a 3, com gols de Bismarck, Roberto e Wiliam, para o Vasco e Espinosa (dois) e Bartticciotto, para os chilenos, ontem no Estádio Nacional, em Santiago do Chile.

Com um futebol primitivo, no primeiro tempo, o Vasco foi totalmente dominado pelo Colo Colo. O time brasileiro atuava de forma lenta no seu meio-campo, com dois cabeças-de-área (Zé do Carmo e Andrade). Falhava na defesa, principalmente, na insegurança de Cássio, e, quando atacava, só o fazia pelo meio. Já o Colo Colo usava e abusava da velocidade de seus atacantes, principalmente de Bartticciotto, que, pela direita, chegava com facilidade à linha de fundo, ajudada pelo excelente lateral-direito Espinosa. E foi ele quem abriu o marcador, aos 9 minutos, cobrando com perfeição uma falta na intermediária. O Jornal dos Sports editou matéria no dia 15 de agosto de 1990.

Colo Colo – Moron; Espinosa, Garrido, Vilches e Margas; Ormeno, Pizarro e Sérgio Dias; Barttiicciotto, Dabrowski e Martinez.
Técnico: Arturo Salah

Vasco – Acácio; Luis Carlos, Célio, Quiñonez e Cássio; Zé do Carmo, Andrade, Bismarck e Wiliam; Sorato e Roberto.
Técnico: Alcir Portela

SÚMULA DO JOGO:

JOGO: Vasco 3 x 3 Colo Colo-CHI

DATA: Quarta-feira, 15 de Agosto de 1990

COMPETIÇÃO: Copa Libertadores

FASE: Oitavas-de-Finais – Jogo-de-volta

LOCAL: Estádio Nacional (CHI)

PÚBLICO: 70.000

RENDA: Não Divulgado.

ÁRBITRO: Francisco Lamolina (ARG)

ESCALAÇÃO: Acácio, Luis Carlos Winck (Dedé), Célio Silva, Quiñonez, Cássio, Zé do Carmo, Andrade (Ânderson), Bismarck, Sorato, Roberto Dinamite, William

FORMAÇÃO: Principal

GOLS VASCO: Bismarck (46′ 1ºT), Roberto Dinamite (13′ 2ºT), William (44′ 2ºT)

TÉCNICO VASCO: Alcir Portella

ESCALAÇÃO COLO COLO-CHI: Morón, Rubén Espinoza, Vilches, Garrido, Margas, Ormeño (Miguel Ramírez), Jaime Pizarro, Sergio Díaz, Barticiotto, Dabrowski, Rubén Martínez (Pastén).

GOLS COLO COLO-CHI: Espinoza (9 1ºT), Diás (22 1ºT), Espinoza (15 2ºT)

TÉCNICO COLO COLO-CHI: Arturo Salah.

Fontes: http://www.sifup.cl/web/campeona/libertadores/html/1990/ Acesso em 07/03/2004.

Súmula atualizada em 07/03/2004