O TÍTULO DO RESPEITO E DO RECOMEÇO


Vasco campeão Carioca de 2015 - Guiñazu levanta a taça

Vasco campeão Carioca de 2015 – Guiñazu levanta a taça

Gostaria de iniciar essa coluna, que será um tanto longa, mas que prometo, você não se cansará! Demorei para escrevê-la em razão do trabalho e de ter estado muito gripado. Como uma conquista de título merece um texto caprichado o reservei para este final de semana.

Antes de mais nada, quero aqui me desculpar publicamente ao Club de Regatas Vasco da Gama, a quem considero meu amigo de infância e pelo qual tenho incondicional amor, aos Vascaínos, sócios ou não, de todas as correntes políticas ou apartidários, pela Coluna escrita em 07 de abril, publicada no site da Cruzada Vascaína, a pedido daquele grupo, sob o título “Time em formação do Vasco cai na altitude de Friburgo!”. Infelizmente o texto serviu para discussões nada amistosas entre grupos políticos opostos, e o sentido real do mesmo acabou se perdendo. Foi uma crítica aos jogadores, naquele momento do campeonato, depois de ter sido questionado mais uma vez pela minha filha, em idade de escolha de time. É preciso ser pai para entender certas coisas.

Crianças querem ganhar, e esse título carioca veio em excelente hora para crianças e jovens. Ainda mais depois do que aconteceu no Carioca de 2014, o título do “roubado é mais gostoso”, no qual deixei as faixas de campeão das crianças jogadas pela arquibancada. Pai de dois pequenos vascaínos, depois de ver o Vasco empatar com o Tigres, com o Barra Mansa e perder daquela forma para a Friburguense, escrevi aquele texto movido por forte emoção e raiva. Afinal, estamos falando de VASCO, e nosso clube não poderia ter jogado daquela forma e ter levado 5 gols de um time que mal consegue se manter na série A do Carioca. Mas, eu também poderia ter feito minha crítica com outras palavras. Errei, sou Homem, assumo e peço desculpas aos leitores. Ninguém mais do que eu se sentiu entristecido com o texto depois de ter chegado à conclusão de que não merecia ser publicado, pois se tratava de um desabafo e nada mais. Mas quem já não disse ou escreveu coisas das quais já se arrependeu? Que atire a primeira pedra, então!

Dias depois da conquista do Carioca, o zagueiro Luan e o meia Bernardo, que superou as merecidas críticas que recebeu, deram entrevista ao Canal Fox Sports e afirmaram que o empate com o rebaixado Barra Mansa e a derrota em Friburgo foram as partidas que serviram de divisor de águas, e que levaram os jogadores a parar para refletir sobre o que queriam nesse campeonato.

PORQUE O TÍTULO DO RESPEITO?

Bom, vou dizer como eu vejo. Mas tem uma galera que vê de outra forma. Você terá que ler a coluna até o fim para descobrir!

É aqui que eu quero dar um voto de mérito ao Presidente Eurico Miranda. Não sou partidário dele e tenho diversas divergências com sua forma de administrar o clube, não tendo votado nele nas últimas eleições, mas é preciso reconhecer que ele, como VP de Futebol numa das épocas mais vitoriosas do Gigante (anos 80 e 90), soube muito bem conduzir a situação junto ao elenco, cobrar responsabilidade e lembrá-los da Camisa que estavam defendendo, e da importância desse título depois de 12 anos já passados do de 2003. De fato, já no jogo contra o Volta Redonda, o qual só a vitória interessava ao Vasco, era perceptível o comprometimento com uma reação, e a vitória foi obtida com autoridade e eficiência.

Aquela conversa mencionada por Luan e Bernardo foi fundamental para o Vasco encarar as fases finais com confiança, atitude e determinação e sair campeão. Era isso que a torcida esperava do time, e felizmente ocorreu.

Bom, mas porque o título do respeito?! Tem uma máxima do Basquete norte-americano (NBA) que diz: “Ataque ganha jogo, e defesa ganha campeonato”, e eu digo a vocês que por trás de toda grande conquista tem uma Diretoria atuante, presente e provedora, que dá os meios, o suporte e tudo o mais que é necessário para os atletas darem o seu melhor, renderem o máximo e obterem as vitórias. Ao contrário da diretoria anterior, de Dinamite, a atual Diretoria nos deu sinais claros de que estava agindo para garantir tranqüilidade ao técnico e jogadores para fazerem partidas competitivas e saírem vitoriosos.

Querem exemplos? Eurico se mostrou presente na Federação, em todas as reuniões, coisa que o inepto Dinamite não fazia. Eurico peitou o Fluminense e defendeu o direito adquirido e legítimo do Vasco ter seu lado da torcida mantido no Maracanã, e por isso levou o jogo contra eles para o Engenhão, e o Vasco venceu. Eurico foi diligente no Tribunal, e com uma defesa eficiente do Jurídico do Vasco, obteve a liberação de Bernardo e Guiñazu, para jogarem as finais contra o Botafogo. Isso faz muita diferença para o elenco, que sabe que não está jogando sozinho. Em 2014, um membro do Conselho Fiscal da FERJ, que foi ex-dirigente do nosso rival, disse nas redes sociais que, no que dependesse dele, o flamengo não seria rebaixado. Foi o ano em que perdemos o Carioca para eles daquele jeito. (http://www.sidneyrezende.com/noticia/234694+conselheiro+do+flamengo+garante+articulacao+na+ferj+para+clube+nao+ser+rebaixado)

A presença de Eurico defendendo os interesses do Vasco certamente tirou força desse diretor rubro-negro, na FERJ. O time da Globo perdeu a vantagem do benefício da dúvida, que lhe proporcionou a farsa de 2014 e aquele título imundo.

Tudo que enumerei acima pode ser resumido na palavra “Respeito” ao CRVG. Além disso tem ainda o trato com o patrimônio do Club. Dinamite estava transformando o Complexo de São Januário numa ruína! Além da incompetência, essa questão foi um dos fundamentos do meu pedido de renúncia dele. Eurico vem recuperando, com habilidade e apoio do quadro social, o nosso patrimônio. Por isso fui colaborador para a campanha de reforma do Ginásio do CRVG, com R$200,00.

AS SEMI-FINAIS E AS FINAIS: VASCO, TIME DA DETERMINAÇÃO

Como minha filha estava descrente, minha mulher mais ainda, mas eu não desisto, e depois do que vi no jogo contra o Volta Redonda, decidi levar toda a família para o segundo jogo contra o urubu, com fé que sairíamos vencedores.

O professor Pardal Luxemburgo montou seu time de forma covarde. Já o Vasco entrou confiante, organizado e determinado. Com atuações firmes de nossos jogadores fomos melhores nas duas partidas e merecemos a classificação. Meus filhos viram o flamengo perder para o Vasco, e uma mentira contada pela mídia cair por terra. Sim, o Vasco vence o flamengo!

Veio o Botafogo. O Vasco nunca havia vencido os cachorros numa final. Mas sempre tem uma primeira vez, eu disse. E fui aos dois jogos. O Vasco jogou com atitude, consistente proposta tática e muita entrega. Jogou como Vasco, com determinação, e por causa da persistência venceu as duas partidas e foi campeão com todos os méritos. Cheguei em casa com as faixas de campeão e coloquei nos meus filhos. Comemoramos muito juntos e vivemos o nosso amor pelo Vasco!

De um time questionado a um time campeão! Que diferença faz a escolha das peças certas para montar uma nova Comissão Técnica e um novo plantel, e dar todo suporte para os jogadores poderem fazer bem o seu trabalho.

Parabéns Diretoria, parabéns jogadores Vascaínos, parabéns Torcida Vascaína, que deu show nas semi-finais e finais e jogou com o time durante os 180 minutos das 4 partidas decisivas.

Domingo passado começou o Brasileirão, e a Copa do Brasil segue, também. Sucesso aos nossos jogadores nessa longa jornada até dezembro! Saibam que jogaremos junto com vocês!

Mas agora você quer saber como uma outra galera vê o respeito, né?!

Na noite de domingo do título, antes de dormir, peguei o tablet da minha filha para ver o que andava fazendo. E aí eu vi que um amigo molambinho havia zoado ela antes do jogo contra eles, com aquele papo de que não ganhamos deles, desdenhando de São Januário…blablabla…

Pois bem, eu vi que ela havia enviado para ele a foto do nosso estádio justamente para dizer que tínhamos um, e o time dele, não. E enviou também a foto do nosso time erguendo a taça de Campeão Carioca. E disse ao molambinho: “Agora ela é minha. Eu ganhei ela de você!”

Cheia de orgulho de ser Vascaína, foi para a escola feliz na segunda-feira. Coitados dos molambinhos! Assim ela e muitas crianças e jovens cruzmaltinos entenderam como o respeito voltou!

Agradecimentos especiais para Marcelo Paiva e André Pedro (WEBVASCO), e Cristiano Mariotti.

Marcus Simonini Ferreira

Blog Incondicionalmente Vasco Sócio – Proprietário, desde 1984.

Meus trabalhos voluntários pelo Club de Regatas Vasco da Gama:

1 – Membro do Movimento Voluntário em prol da Revitalização do Entorno de São Januário;

2 – Autor de proposta de emenda ao Estatuto para incluir a Camisa Negra como uniforme histórico especial da luta do Vasco contra o racismo;

3 – Autor do pedido, junto à Diretoria do CRVG, para que a Conmebol incluísse o título do Sul-Americano de 1948 em seu site, para lhe dar a merecida publicidade, pois o reconhecimento obtido em 1996 não constava de seu canais de comunicação. (http://www.lancenet.com.br/minuto/Conmebol-pedido-inclui-titulo-Vasco_0_932906818.html); e

4 – Autor de carta de pedido de renúncia do ex-Presidente Dinamite, em razão do segundo rebaixamento do Vasco e da deterioração do patrimônio social do Club. (http://www.lancenet.com.br/vasco/Socio-Vasco-renuncia-Roberto-Dinamite_0_1044495679.html)